top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Bee Festival Multicultural celebra a representatividade lésbica e a diversidade em São Paulo

O evento, que acontece neste fim de semana de agosto (26 e 27), conta com exposições, feiras, música, debates e outras atrações gratuitas, no Centro Cultural da Diversidade.


Heliana Hemetério é uma das palestrantes do Bee Festival (foto divulgação)


Em meio à vibrante paisagem cultural da cidade de São Paulo, está emergindo um evento de relevância marcante: Bee Festival Multicultural que celebra a representatividade lésbica e a diversidade. Mais do que um simples entretenimento, carrega consigo uma profunda significância social e cultural que ecoa em toda a comunidade e além dela. Visa promover debates, negócios e celebrações em torno da cultura e da representatividade lésbica nas telas, fotografias, ilustrações e música. O evento ocorre na capital paulista neste último fim de semana de agosto, mês dedicado à visibilidade lésbica.


Com o apoio da Secretaria Municipal da Cultura, o Bee Festival será um evento presencial e gratuito. No sábado (26), acontece das 15h às 22h, e no domingo (27), das 14h às 20h, no Centro Cultural da Diversidade, localizado na rua Lopes Neto, 206, no bairro Itaim Bibi, zona Sul da capital. O festival contará com a participação de mulheres dos campos corporativo, artístico e do movimento social em palcos, feiras e rodas de conversa.


Entre as participantes, destaca-se Heliana Hemetério, uma historiadora negra, lésbica e ativista pela inclusão de gênero e orientação sexual nas discussões antirracistas. Aos 71 anos, Heliana será uma das palestrantes do festival, abordando o tema ‘Envelhecimento Lésbico’.


A programação também inclui um debate sobre ‘Maternidade e Famílias Possíveis’, com a presença da escritora Marcela Tiboni, autora de livros como ‘Mama: Relato de Maternidade Homoafetiva’, ‘Maternidades no Plural’ e ‘Desmama’. Marcela compartilhará sua experiência de amamentação dos gêmeos que ela e sua esposa Melanie tiveram, mesmo sem ser a gestante.


O evento ainda contará com três rodas de conversa: uma sobre os ‘40 anos do Levante do Ferros Bar e a História do Movimento Lésbico Feminista do Brasil’; outra sobre ‘Representatividade Lésbica na Ilustração’; e a terceira sobre ‘Representatividade Lésbica em Webséries’, com a participação da equipe de direção e elenco das séries ‘Os Signos das Minhas Ex’ e ‘Stupid Wife’, incluindo a atriz protagonista Priscila Reis.


Além disso, a palestra ‘Representatividade na Ilustração’ será ministrada por Jenifer Prince, uma artista renomada por suas narrativas lésbicas e sáficas. Ela foi vencedora do concurso do Cartaz Oficial da Marcha do Dique de São Francisco, em 2016.


Destaques Imperdíveis

Um dos momentos mais aguardados inclui a apresentação da cantora lésbica Anna Moura, vencedora do Campeonato Mundial de Poesia Slam 2022 em Bruxelas, Bélgica. Seu trabalho é marcado pela fusão de poesia, teatro e música. Suas letras carregam posicionamentos políticos e reflexões sobre questões sociais como o preconceito. Também estão confirmadas as apresentações da banda Exausta Samba e um set de DJ com Monic.


Mostra de Cinema

No sábado (26), serão exibidos curtas-metragens brasileiros, enquanto a mostra de domingo (27) apresentará filmes internacionais com a mesma temática. As fundadoras do Festival são as cineastas Alexia Araújo e Ana Cavazzana, diretoras dos curtas ‘Ausência’ e ‘Duas’, respectivamente, ambos incluídos no programa do evento. Antes de se transformar em um festival multicultural, o Bee teve início como um festival de cinema lésbico.


Muito mais

Ao longo dos dois dias do Bee Festival, o Centro Cultural da Diversidade também sediará uma feira de artes e empreendedorismo, uma área gastronômica e a exposição fotográfica ‘História de Mulheres Lésbicas - Arquivo Lésbico Brasileiro’. Também estão programadas sessões de networking para facilitar a troca de experiências entre profissionais da comunidade.


O evento é patrocinado pela Ben & Jerry’s, uma marca historicamente dedicada a promover a diversidade e combater o preconceito contra a comunidade lésbica, uma das mais marginalizadas. ‘A Ben & Jerry's está comprometida em fazer o melhor sorvete em um mundo em busca de justiça social, com valores inabaláveis como direitos iguais’, explica Ananda Puchta, responsável pela Missão Social e Ativismo da marca no Brasil.


‘O Bee Festival foi concebido por e para mulheres lésbicas, enfatizando a representação e a visibilidade, um passo significativo no combate às desigualdades’, acrescenta. Ananda acredita que ele oferece um espaço de oportunidade para descobrir talentos e encontrar inspiração.


Além do patrocínio da Ben & Jerry's, o Festival é organizado pelo Centro Cultural da Diversidade e pela Prefeitura de São Paulo, com o apoio da Cavazz Filmes, da Rede Brasileira de Mulheres LBTQ+ (MLBTQ+), Instituto Matizes e Liga Brasileira de Lésbicas e Mulheres Bissexuais (LBL).


Mês da Visibilidade Lésbica

No decorrer do mês de agosto, destacam-se duas datas de grande importância para o movimento lésbico. A primeira delas é o dia 19 de agosto, que celebra o Dia Nacional do Orgulho Lésbico, uma homenagem a Rosely Roth. Ela foi uma ativista que liderou o icônico protesto conhecido como ‘A Invasão do Ferro's Bar’, um evento marcante em defesa da publicação ‘ChanaComChana’, boletim criado pelo Grupo de Ação Lésbica Feminista (GALF) nos anos 1980.


A segunda data é o dia 29 de agosto, que comemora o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. Essa data é uma referência ao dia em que ocorreu no Brasil o 1º Seminário Nacional de Lésbicas, um marco significativo para a visibilidade e a promoção dos direitos das mulheres lésbicas.


Em sintonia com essas efemérides importantes, o Bee Festival Multicultural ocorre no último fim de semana de agosto e se destaca como um espaço de celebração, diálogo e representatividade para a comunidade lésbica e suas aliadas.


Vale a ressalta de que um dos aspectos mais notáveis desse festival é sua dedicação à representatividade lésbica e à celebração da diversidade. Em um mundo onde as vozes das mulheres lésbicas muitas vezes foram marginalizadas ou ignoradas, este evento destaca suas histórias, experiências e contribuições de maneira excepcional. Através de exposições, debates, apresentações artísticas e outras atividades, o festival oferece um espaço para que essas vozes brilhem e sejam ouvidas.

A diversidade, por sua vez, é celebrada em todas as suas formas. Este festival não apenas acolhe mulheres lésbicas, mas também se estende a toda a comunidade, independente de orientação sexual, identidade de gênero, origem étnica ou cultural. Ao fazer isso, ele cria um ambiente em que a riqueza da experiência humana é verdadeiramente apreciada e valorizada.


Além de criar um espaço de celebração e visibilidade, o festival tem o poder de desafiar estereótipos prejudiciais e combater o preconceito arraigado. Ao proporcionar um palco para performances artísticas, debates informados e discussões francas, ele ajuda a desmontar ideias equivocadas e promover uma compreensão mais aberta e tolerante.

Mas o festival não é apenas sobre o presente; ele também lança um olhar para o futuro. Ao empoderar as mulheres lésbicas, jovens e de todas as idades. Inspira uma nova geração a se orgulhar de sua identidade, a lutar contra a discriminação e a defender uma sociedade mais inclusiva e respeitosa. Também desempenha um papel vital na educação e na conscientização da sociedade em geral, promovendo uma transformação positiva nas atitudes e percepções.

Em última análise, o Bee Festival Multicultural que celebra a representatividade lésbica e a diversidade não é apenas um evento; é uma poderosa ferramenta de mudança social e cultural. À medida que as vozes das mulheres lésbicas são elevadas, à medida que a diversidade é celebrada e à medida que os corações e mentes são abertos para novas perspectivas, um impacto duradouro é sentido em todos os cantos da sociedade. E é precisamente por isso que este festival merece ser celebrado e aplaudido como um catalisador de mudança positiva.


PROGRAMAÇÃO

SÁBADO - 26/08

15h - Abertura do Festival

15h às 20h - Feira de Arte (área externa)

15h às 20h - Apresentação DJ Monic (área externa)

15h05 às 15h40 - Show da banda Exausta Samba


15h45 às 16h45 - Roda de conversa: ‘Maternidade e famílias possíveis’ (com Ágata Dourado, Ana Garcia e Marcela Tiboni)

17h00 às 18h30 - Cine Sapatão: sessão do filme documentário ‘40 anos do Levante do Ferros Bar’; Palestra: ‘História do movimento lésbico feminista do Brasil’ (com Rita Quadros, Andrezza Czech e Ananda Puchta)

18h45 às 19h30 - Roda de conversa: ‘Envelhecimento lésbico’ (com Daniela Uga, Heliana Hemetério e Márcia Balades)

19h45 às 22h - Mostra de filmes lésbicos nacionais BEE: ‘Duas’, ‘Ausência’, ‘Não somos mais o que éramos’ e ‘Letícia, Monte Bonito, 04’ (com Maria Maya, Ana Cavazzana, Alexia Araujo e Julia Regis)


DOMINGO - 27/08

15h às 20h - Feira de Arte (área externa)

15h às 15h45 - Palestra: ‘Representatividade lésbica na ilustração’ (com Jenifer Prince)

16h às 16h45 - Roda de conversa: Representatividade Lésbica em webseries ‘Stupid Wife’ e ‘Os Signos das Minhas Ex’ (com Ingrid Pedroza, Gabi Lemos, Laís Aranha, Priscila Reis e Natalie Smith)

17h às 18h - Show Anna Moura e Bárbara Barbosa

18h10 às 20h - Mostra de filmes lésbicos internacionais BEE: ‘Rebel Dykes’, ‘Please God Heal Her’ e ‘Bes’



O SIGNIFICADO DA COMUNIDADE LGBTQIA+ EM SÃO PAULO: HISTÓRIA, DIMENSÃO E A MAIOR PARADA DO MUNDO


São Paulo, uma das maiores cidades do mundo e um epicentro cultural e social do Brasil, é também uma referência notável para a comunidade LGBTQIA+. A presença vibrante e a influência dessa comunidade têm raízes profundas na história da cidade e continuam a moldar sua identidade cultural e política. A significância da comunidade em São Paulo é multifacetada e profundamente enraizada em sua história, cultura e identidade. O compromisso contínuo com a luta por direitos, a celebração da diversidade e o impacto cultural e social positivo fazem da comunidade LGBTQIA+ um componente vital e influente da cidade, contribuindo para um São Paulo mais inclusivo e progressista.

Vamos explorar a significância da comunidade em São Paulo, sua história e a dimensão impressionante de sua expressão, incluindo a realização da maior parada LGBTQIA+ do mundo.

História e Luta por Direitos: A história da comunidade LGBTQIA+ em São Paulo é marcada por lutas significativas por direitos e visibilidade. A década de 1970 viu o surgimento das primeiras organizações LGBTQIA+, que buscavam combater a discriminação e a marginalização. A partir daí, a comunidade se tornou uma voz ativa na luta por igualdade e direitos civis, contribuindo para avanços significativos na legislação anti-discriminação e no reconhecimento de relacionamentos homoafetivos.

Dimensão da Comunidade: São Paulo abriga uma das maiores e mais diversas comunidades LGBTQIA+ do mundo. Essa diversidade é refletida na ampla gama de bairros, espaços culturais e eventos dedicados à comunidade LGBTQIA+. A cidade proporciona um ambiente onde pessoas de diferentes identidades de gênero e orientações sexuais podem se expressar livremente e encontrar comunidade.

Parada do Orgulho LGBTQIA+: Um dos marcos mais proeminentes da comunidade LGBTQIA+ em São Paulo é a Parada do Orgulho LGBTQIA+, que é reconhecida como a maior parada desse tipo em todo o mundo. O evento, que ocorre anualmente em junho, atrai milhões de pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo. Além de celebrar a diversidade e o orgulho LGBT+, a parada também serve como um espaço de protesto e reivindicação de direitos, abordando questões como igualdade, inclusão e respeito.

Impacto Cultural e Social: A comunidade LGBTQIA+ em São Paulo não apenas moldou a paisagem política e legal, mas também influenciou fortemente a cultura e a sociedade da cidade. A cena artística e cultural LGBTQIA+ é vibrante, abrangendo música, teatro, cinema, literatura e outras formas de expressão. Além disso, a comunidade tem desempenhado um papel importante na promoção do diálogo sobre questões de identidade de gênero, sexualidade e diversidade.

Um Olhar para o Futuro: A comunidade LGBTQIA+ em São Paulo continua a evoluir, enfrentando desafios e buscando novos horizontes. Embora muitos avanços tenham sido alcançados, a luta por igualdade e respeito ainda persiste, especialmente para as interseccionalidades presentes na comunidade.

Em resumo, a significância da comunidade LGBTQIA+ em São Paulo é multifacetada e profundamente enraizada em sua história, cultura e identidade. O compromisso contínuo com a luta por direitos, a celebração da diversidade e o impacto cultural e social positivo fazem da comunidade LGBTQIA+ um componente vital e influente da cidade, contribuindo para um São Paulo mais inclusivo e progressista.



Ranking Global

Desde a icônica Parada do Orgulho LGBTQIA+ de São Paulo até os eventos internacionais de renome, como o WorldPride, os festivais que celebram a diversidade e a luta por igualdade ganharam destaque global. Essas celebrações coloridas e inspiradoras reúnem milhões de pessoas de todas as esferas da vida para comemorar, protestar e construir comunidades inclusivas.


Os festivais representam apenas uma pequena amostra dos muitos eventos de orgulho LGBT+ realizados em todo o mundo. Cada um deles desempenha um papel importante na celebração da diversidade, na promoção da igualdade e na criação de espaços seguros e inclusivos para a comunidade LGBTQIA+.


Explore o ranking dos maiores festivais LGBT+ que redefinem o cenário cultural e político, enquanto unem corações e mentes ao redor do mundo.


São Paulo Pride Parade (Parada do Orgulho LGBTQIA+ de São Paulo) - A São Paulo Pride Parade é reconhecida como a maior parada LGBTQIA+ do mundo. Com números que variam de acordo com os anos, a parada costuma atrair milhões de participantes, tanto locais quanto internacionais, que se unem para celebrar a diversidade e lutar por igualdade. Além da parada, São Paulo também é conhecida por sediar uma série de eventos ao longo do mês do orgulho LGBT+.


WorldPride - O WorldPride é um evento itinerante realizado em diferentes cidades ao redor do mundo a cada dois anos. É um dos maiores eventos globais de orgulho LGBTQIA+, atraindo uma ampla gama de atividades culturais, políticas e sociais. Cidades como Nova York, Toronto e Madri já sediaram o WorldPride.


Madrid Pride (Orgulho Madrid) - Madri, Espanha: O Orgulho Madrid é um dos maiores eventos de orgulho LGBT+ na Europa. A cidade se enche de cores, festividades e manifestações durante a celebração, que normalmente dura uma semana. A parada de Madrid é conhecida por atrair centenas de milhares de participantes.


San Francisco Pride - São Francisco, EUA: O San Francisco Pride é um dos mais antigos festivais de orgulho LGBTQIA+ nos Estados Unidos. A cidade de São Francisco, conhecida por sua história LGBTQIA+ rica e progressista, sedia uma parada e celebrações ao longo de um fim de semana, atraindo uma multidão diversificada.


Berlin Pride (Christopher Street Day) - Berlim, Alemanha: O Christopher Street Day (CSD) é um festival de orgulho LGBTQIA+ realizado em várias cidades alemãs, mas o de Berlim é particularmente proeminente. A cidade é conhecida por sua cena LGBTQIA+ vibrante, e o CSD atrai uma grande participação, incluindo moradores e turistas.


London Pride - Londres, Reino Unido: O London Pride é um dos maiores festivais de orgulho LGBT+ do Reino Unido e atrai uma ampla gama de participantes de todas as partes do país. Londres celebra o orgulho com uma variedade de eventos, culminando em uma vibrante parada pelas ruas da cidade.

6 visualizações

Comments


bottom of page