• Pimenta Rosa

Cachorro ‘gay’, abandonado por donos homofóbicos, ganha nova família

Steve Nichols e seu marido, John Winn, adotaram o cãozinho de 5 anos, que foi rebatizado de Oscar, em homenagem ao dramaturgo gay Oscar Wilde



A história do cachorro Fezco, de 5 anos, teve um final feliz. Ele foi adotado por Steve Nichols e seu marido, John Winn, depois de ser entregue aos Serviços de Proteção Animal do Condado de Stanly, na Carolina do Norte (EUA), pelos seus donos por transar com outro cão.


Fiquei em choque', disse Nichols à WCCB Charlotte, canal de TV americano. sobre a primeira leitura a respeito de Fezco no noticiário. ‘Eu folheei e passei para a próxima história, e então algo estalou dentro de mim’.


Ele disse que voltou e releu a história e assistiu à cobertura em vídeo da emissora e então abordou Winn com uma ideia.


Estamos juntos há 33 anos e, em 33 anos, enfrentamos a mesma ignorância, intolerância, mas conversamos sobre isso e pensamos: Desta vez vamos fazer algo a respeito'.


Nichols ligou para a emissora de TV, e o repórter que cobriu a história ajudou a colocá-lo em contato com o abrigo. O casal assinou os papéis de adoção de Fezco menos de 48 horas depois.


Mas não demorou muito para Nichols perceber que o filhote precisava de atenção médica. ‘Passei cerca de uma hora com ele no carro, e era óbvio, para mim, que ele estava com a saúde muito ruim', contou ele à NBC News.


Após sua adoção, Fezco foi internado no Pressly Animal Hospital, em Matthews, Carolina do Norte, onde foi tratado de dirofilariose (conhecida como verme do coração), castrado e submetido a um exame de saúde.


Quanto a transar com outro cão macho, o veterinário William Pressly, afirmou que ‘todos os cães fazem isso’ e não tem nada a ver com a sexualidade do animal. ‘É uma coisa de domínio e brincadeira’, explicou

Em uma entrevista, Nichols ironizou: ‘Temos certeza de que ele não é gay, porque ele odeia ter sua foto tirada. Que pessoa gay não quer tirar uma foto?


Fezco foi, no entanto, renomeado por seus novos pais em homenagem a um ícone gay.


Nós o batizamos em homenagem a Oscar Wilde, que é uma das pessoas mais notoriamente gays da história’, disse Nichols sobre o falecido poeta e dramaturgo irlandês. ‘Gostamos de dar aos nossos animais de estimação nomes humanos. Nós não gostamos de chamá-los de Fluffy e Sparky ou nada disso’.


O casal tem outro cachorro, um pequeno resgatado chamado Harry, que eles adotaram há cerca de 10 anos. Harry foi padrinho do casamento do casal.

82 visualizações