top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Casal lésbico faz sucesso na Privacy e luta contra o preconceito na internet

Agosto é o mês da Visibilidade Lésbica e tem como objetivo lembrar a existência da mulher lésbica, as violências sofridas por elas e as pautas que o movimento reivindica



Você sabia que agosto é o mês da Visibilidade Lésbica? A data foi criada em 1996, durante o 1° Seminário Nacional de Lésbicas, com o objetivo de lembrar a existência da mulher lésbica, as violências sofridas por elas e as pautas que o movimento reivindica. Hoje, 29 de agosto é reconhecido como o dia Nacional da Visibilidade Lésbica.

Flávia e Júlia, um dos maiores casais lésbicos da plataforma Privacy, decidiram criar um perfil por sentirem falta de conteúdo voltado às mulheres.


'Nosso público nas redes sociais é mais de 93% feminino e esse é nosso intuito, trazer prazer, liberdade e diversão para todas as mulheres que querem acompanhar a nossa jornada. Nós somos livres pra fazermos o que quisermos e temos que reforçar sempre isso', relata Flávia.

Elas se conheceram em 2010 pelo Orkut, por um aplicativo chamado Caixa da Verdade, onde podiam enviar mensagens anônimas para pretendentes. Desde esse primeiro contato não pararam mais de conversar. Namoraram à distância por dois anos e meio, Flávia morando em Curitiba (PR) e a Júlia em Balneário Camboriú (SC). Depois desse tempo à distância, finalmente foram morar juntas em Balneário Camboriú.

No início, Flávia enfrentou o preconceito da própria mãe.


'Eu tive dificuldade para minha família respeitar minha orientação sexual. Minha mãe soube que eu estava namorando com a Júlia através de uma foto beijando e foi uma briga atrás da outra. Mas, aos poucos ela foi entendendo o que é o amor e o amor é válido de todas as formas. O que realmente importa é cada um ser feliz do jeito que achar certo. Se eu pudesse deixar um recado para as meninas que estão se descobrindo é: estudem, trabalhem, tenham a independência de vocês, respeitem suas escolhas e o principal, se amem acima de tudo', conta.

Na Privacy o perfil mantém posts exclusivos, com cerca de três a cinco conteúdos por semana. Quando decidiram iniciar a criação de conteúdo, entraram em acordo para fazerem algo que ficassem à vontade e, principalmente, ter bastante liberdade na hora de produzir. Sempre pensando no que as mulheres lésbicas e bissexuais gostariam de acompanhar. Elas já chegaram a faturar mais de R$ 800,00 por dia na plataforma. Flávia garante que tem novidades, com muitas fotos e vídeos para lançar ainda em agosto. 'Será babado atrás de babado!', comenta a criadora de conteúdo.

Pesquisa do Instituto Patrícia Galvão mostra que 89% dos casos de lesbocídio, assassinato de mulheres lésbicas, são causados por homens. Sendo 29% desses crimes causados por alguém que mora na mesma casa.


'Já sofremos muito preconceito no decorrer da nossa história na internet, mas aprendemos a amar quem somos e a respeitar nossa história, então, não toleramos mais nenhum tipo de preconceito. A visibilidade lésbica é um mês essencial para lembrarmos e darmos ainda mais voz e importância às lutas contra a nossa sociedade preconceituosa, lesbofobica e machista na qual vivemos. É sobre respeito, luta diária e sobre celebrar vivências, existências, corpos, vontades e os diversos amores. É sobre liberdade!', enfatiza Flávia.

Sobre a Privacy


Fundada em 2020, a Privacy é a maior plataforma de venda de conteúdo da América Latina e a primeira 100% brasileira. A empresa atua como uma rede social, por assinatura, para os criadores de conteúdo venderem materiais exclusivos. Hoje, a empresa já atingiu mais de 16 milhões de usuários mensais e 75 mil influenciadores.

8 visualizações

Comments


bottom of page