• Pimenta Rosa

Centro de Teatro do Oprimido estreia peça 'Generes' em única apresentação no sábado

Fruto do CriaDasOprimidas, a montagem apresenta uma série de conflitos enfrentados por quem se atreve a desafiar a estrutura binária de um sistema heteropatriarcal.



Neste sábado (11/12), o Centro de Teatro do Oprimido através do projeto Teatro das Oprimidas estreia sua mais recente obra de Teatro-Fórum “Generes”, com direção de Bárbara Santos e elenco inédito da instituição, localizada nos Arcos da Lapa (RJ). A obra apresenta uma série de conflitos enfrentados por protagonistas que se atrevem a desafiar a estrutura binária de um sistema heteropatriarcal que limita suas existências. Neste confronto, as oprimidas não dispõem dos instrumentos necessários para superar a opressão a que estão submetidas.


Todo o processo estético foi baseado tanto nas experiências pessoais das artistas envolvidas quanto na pesquisa do contexto social que envolve o elenco como um todo. Depois da apresentação, a plateia é convidada a refletir sobre o que assistiram e a imaginar coletivamente quais estratégias poderiam ser utilizadas diante do problema encenado. Na etapa seguinte, estimula-se que alguns desses grupos improvisam suas propostas no palco junto com o elenco da peça.


A peça é fruto do laboratório CriaDasOprimidas, um espaço de criação artística que visa garantir a efetividade do processo estético, a excelência dos produtos artísticos e a coadunação de ambos como estratégia de formação das mais de 30 artistas que compõem a equipe do projeto Teatro das Oprimidas. As ações acontecem por meio da parceria do CTO com o patrocínio da Petrobras e da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

A programação conta com apresentações de performances artísticas da Escola de Teatro Popular, Grupo Ponto Chic e Grupo MareMoTO. O sábado cultural promove também roda de conversa sobre feminicídio e apresentação da vídeo-peça “Se Essa Rua Fosse Minha” do Coletivo Madalenas Rio.

O evento segue respeitando as normas de segurança da OMS contra COVID-19, com limite de 30 pessoas por atividade artística com uso de máscara e álcool em gel constantemente. As ações do projeto Teatro das Oprimidas do CTO tem patrocínio da Petrobras e da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO:

ESTREIA DO ESPETÁCULO DE TEATRO-FÓRUM “GENERES”

Quando: 11 de Dezembro - Sábado

Horário: 17h

Local: Centro de Teatro do Oprimido

Endereço: Av. Mem de Sá, 31 - Lapa - Rio de Janeiro

GRÁTIS

O TEATRO DAS OPRIMIDAS O projeto Teatro das Oprimidas tem como objetivo geral fortalecer os Grupos Teatrais Populares de TO (Teatro do Oprimido e Teatro das Oprimidas), ampliando seus raios de atuação, realizando oficinas de TO para estimular multiplicadoras/res e cenas que mobilizem alternativas transformadoras para a juventude, em espaços populares e institucionais com a metodologia da Estética, do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas. As ações serão distribuídas em municípios da Região Metropolitana, como Duque de Caxias, em comunidades e bairros no entorno da REDUC (Refinaria Duque de Caxias); São Gonçalo e Itaboraí, cidades situadas na área da COMPERJ (Complexo Petroquímico do RJ) e que também fazem parte da APA (Área de Proteção Ambiental de Guapimirim); Niterói; Nova Iguaçu; 6º Maricá; e também no interior do estado, na cidade de Macaé (Região da Bacia de Campos); além do município onde localiza-se a sede do CTO, o Rio de Janeiro.

O CENTRO DE TEATRO DO OPRIMIDO Centro de pesquisa e difusão que desenvolve a metodologia do Teatro do Oprimido em Laboratórios e Seminários de Dramaturgia, ambos de caráter permanente, para revisão, experimentação, análise e sistematização de exercícios, jogos e técnicas teatrais. O CTO foi dirigido por Augusto Boal ao longo de seus últimos 23 anos de vida e, hoje, sua equipe dá prosseguimento ao trabalho. A filosofia e as ações da instituição visam à democratização dos meios de produção cultural, como forma de expansão intelectual de seus participantes, além da propagação do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas como meio da ativação e do democrático fortalecimento da cidadania. O CTO implementa projetos que estimulam a participação ativa e protagônica das camadas oprimidas da sociedade, e visam a transformação da realidade a partir do diálogo e de meios estéticos.

35 visualizações