• Pimenta Rosa

Centro de Teatro do Oprimido realiza a gravação da segunda edição do LAPArada nesta quinta

Tradicional bairro do Rio vai receber atividades artísticas em prol da diversidade e contará com presença de ativistas dos Direitos Humanos



O Centro de Teatro do Oprimido (CTO) realiza a gravação da segunda edição do vídeo-performance LAPArada nesta quinta-feira (23/06), a partir de 13h, na Lapa, em parceria com o Grupo Conexão G, Arco-íris, Casa Nem e Cozinha Trans. Gratuita e aberta ao público, a concentração inicia na sede do CTO, com presença de ativistas dos direitos humanos como Gilmara Cunha, Indianare Siqueira, Claudio Nascimento, além de artistas dos grupos teatrais do CTO.


O lançamento do vídeo-performance acontece no dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+, com entrada gratuita e na sede da instituição. O evento, que terá roda de conversa com Gabriel Horsth, Maiara Carvalho e Raquel Dias, além de artistas dos grupos teatrais do CTO, será encerrado com a realização de um sarau aberto. O dia 28 de junho reflete sobre a importância do combate à LGBTQIAP+fobia livre de preconceitos, independente do gênero sexual.


SERVIÇO:

Gravação do LAPArada 2

Data: 23 de junho

Concentração: Centro de Teatro do Oprimido - Av. Mem de Sá, 31, Lapa, Rio de Janeiro, RJ

Horário: 13h

Percurso: Praça da Cruz Vermelha, Arcos da Lapa e Rua da Lapa

GRÁTIS

Evento em comemoração ao Dia Internacional do Orgulho

Data: 28 de junho

Local: Centro de Teatro do Oprimido - Av. Mem de Sá, 31, Lapa, Rio de Janeiro, RJ

Horário: 19h

GRÁTIS


SOBRE O TEATRO DAS OPRIMIDAS


O projeto Teatro das Oprimidas tem como objetivo geral fortalecer os Grupos Teatrais Populares de TO (Teatro do Oprimido e Teatro das Oprimidas), ampliando seus raios de atuação, realizando oficinas de TO para estimular multiplicadoras/res e cenas que mobilizem alternativas transformadoras para a juventude, em espaços populares e institucionais com a metodologia da Estética, do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas. As ações serão distribuídas em municípios da Região Metropolitana, como Duque de Caxias, em comunidades e bairros no entorno da REDUC (Refinaria Duque de Caxias); São Gonçalo e Itaboraí, cidades situadas na área da COMPERJ (Complexo Petroquímico do RJ) e que também fazem parte da APA (Área de Proteção Ambiental de Guapimirim); Niterói; Nova Iguaçu; 6º Maricá; e também no interior do estado, na cidade de Macaé (Região da Bacia de Campos); além do município onde localiza-se a sede do CTO, o Rio de Janeiro.

SOBRE O CENTRO DE TEATRO DO OPRIMIDO


Centro de pesquisa e difusão que desenvolve a metodologia do Teatro do Oprimido em Laboratórios e Seminários de Dramaturgia, ambos de caráter permanente, para revisão, experimentação, análise e sistematização de exercícios, jogos e técnicas teatrais. O CTO foi dirigido por Augusto Boal ao longo de seus últimos 23 anos de vida e, hoje, sua equipe dá prosseguimento ao trabalho. A filosofia e as ações da instituição visam à democratização dos meios de produção cultural, como forma de expansão intelectual de seus participantes, além da propagação do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas como meio da ativação e do democrático fortalecimento da cidadania. O CTO implementa projetos que estimulam a participação ativa e protagônica das camadas oprimidas da sociedade, e visam a transformação da realidade a partir do diálogo e de meios estéticos.



20 visualizações