• Pimenta Rosa

Conselho Nacional de Justiça realiza pesquisa sobre discriminação e violência à população LGBTQIA+

O estudo visa elaborar um diagnóstico da situação real da comunidade no judiciário



Considerada uma questão presente e constante, o Brasil é o país com a maior quantidade de registros de crimes homofóbicos do mundo, seguido pelo México e pelos Estados Unidos. Essa homofobia faz com que a cada 19 horas, uma pessoa LGBT seja morta no país, de acordo com dados do Grupo Gay da Bahia (GGB).


Diante desse cenário, o Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho Nacional de Justiça está realizando estudo denominado ‘Discriminação e Violência à População LGBTQIA+’. O objetivo do levantamento é elaborar um diagnóstico da situação de atenção do público LGBTQIA+ como vítima e como se dá seu tratamento no sistema de justiça e, em especial, no âmbito do Poder Judiciário, subsidiando a futura implementação de políticas públicas à proteção desse grupo social.


Para participar do estudo, o interessado precisa apenas preencher o formulário de adesão em https://formularios.cnj.jus.br/contato-pesquisa-lgbtqia. A pesquisa envolverá casos que ocorreram nas seguintes cidades: Fortaleza (CE), Maracanaú (CE), Manaus (AM), Manacapuru (AM), Curitiba (PR), Araucária (PR), Belo Horizonte (MG) Juiz de Fora (MG), Campo Grande (MS), Dourados (MS), São Paulo (SP), Avaré (SP).

13 visualizações