• Pimenta Rosa

Em mês de visibilidade trans, Pernod Ricard assina contrato com TransGarçonne

Multinacional patrocina programa que capacita pessoas trans para atuarem no universo de atendimento e bebidas



Janeiro é o mês da visibilidade trans e a Pernod Ricard, multinacional francesa de bebidas, dona das marcas Absolut, Ballantine’s, Chivas e Beefeater, assinou contrato com o TransGarçonne, se tornando a primeira patrocinadora do programa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que capacita e empodera pessoas trans, travestis e não bináries para trabalharem em bares, restaurantes e hotéis.

'A UFRJ, que tem um curso destinado a pessoas trans e travestis, notou que o grande gargalo não era a formação, mas sim a contratação dessas pessoas. Por esse motivo, criamos um programa de acolhimento de diferentes formas, inclusive para inseri-las no mercado de trabalho', explica o professor Breno Cruz, coordenador da Rede de Acolhimento para Empregabilidade TransGarçonne (RAET). 'Além disso, a rede contribui com todo o processo necessário, como por exemplo, a requalificação do nome e gênero, mudança da certidão de nascimento, entre outros procedimentos necessários para a contratação legal', afirma Rochelly Rangel, ex-aluna do projeto e atualmente embaixadora desta iniciativa.

Esse patrocínio e parceria ajudam a impactar um número maior de pessoas trans a terem acesso ao mercado de trabalho, mostrando que cada pessoa tem o direito de ser inserida na área profissional.


'Acreditamos na importância do projeto e de como as oportunidades no mercado de trabalho correspondem a uma nova perspectiva de vida para as pessoas trans' - relata Cecília Saleme, Diretora de RH e S&R, da Pernod Ricard.

A Pernod Ricard apoia essa iniciativa e acredita que todos têm direito a igualdade de gênero sem discriminação, por isso, a partir desse mês, oficializou o patrocínio nesse projeto, acreditando e apoiando o curso de formação de garçons e bartenders. 'Sabemos que por meio da construção de parcerias conseguimos aumentar a empregabilidade de pessoas trans, travestis e não bináries, inserindo-as no mercado de trabalho e contribuindo para a redução da discriminação social', afirma Cecília Saleme.

O Brasil segue pelo décimo terceiro ano consecutivo como o lugar mais perigoso para uma pessoa transexual viver. Pelo menos 125 travestis, homens e mulheres trans foram assassinadas devido a sua identidade de gênero entre outubro de 2020 e setembro de 2021 no país. Os dados são do projeto Transrespect versus Transphobia Worldwide (TvT) da ong Transgender Europe (TGEU). De acordo com dados divulgados pela CNN, foi apurado nesse ano de 2021 que a expectativa de vida de uma pessoa trans no Brasil é menos de 35 anos. Isso equivale a expectativa de vida que todas as pessoas tinham na idade média, isso quando não existia nem penicilina, nem saneamento básico.


Aos interessados em saber mais sobre o Transgarçone, basta seguir o perfil no Instagram: @transgarconne.

Sobre a Pernod Ricard


Fundada em 1975 por meio de uma fusão entre as empresas francesas Pernod e Ricard, o Grupo se desenvolveu a partir de grandes aquisições, como Seagram (2001), Allied Domecq (2005) e Vin & Sprit (2008). Presente em 87 países, com cerca de 18,5 mil colaboradores, a companhia possui um dos portfólios mais prestigiados do setor de bebidas alcoólicas, com as marcas Absolut, Ricard, Ballantine’s, Chivas Regal, Royal Salute, The Glenlivet, Jameson Irish, Havana Club, Beefeater, Kahlúa, Malibu, Mumm, Perrier-Jouët, Campo Viejo, e Kenwood, além nacionais Passport, Wall Street, Natu Nobilis, Ron Montilla, Orloff, São Francisco e Janeiro. Defensora de políticas de consumo responsável, a empresa trabalha com foco em três valores-chave: espírito empreendedor, confiança mútua e ética.

15 visualizações