top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Evento em Niterói traz debate sobre violência doméstica

O encontro ‘Raízes que nos sustentam’ acontece nesta quinta-feira (24), no Teatro Popular de Niterói, e terá homenagens, debate, música, feira de artesanato e oficinas



No mês de combate à violência doméstica, a cidade de Niterói será palco nesta quinta-feira (24), a partir das 15h, do encontro ‘Raízes que nos sustentam’, com homenagens, debate, música, feira de artesanato e oficinas, no Teatro Popular de Niterói, pelo Agosto Lilás e o Dia de Igualdade Feminina (26). A mesa de abertura do evento, promovido pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal da cidade. terá como tema ‘O que a luta das mulheres tem a nos dizer’, com as doutoras em Educação Sara Wagner York e Alice Akemi Yamasaki. Haverá homenagens a figuras representativas no combate ao racismo, lideranças negras, indígenas e pessoas com deficiência.


Entre elas, deputada estadual Dani Monteiro; deputada federal Talíria Petrone; Marinete Franco, mãe de Marielle; atriz Sol Miranda; pesquisadora indígena Martinha Guajajara; socióloga e professora Flávia Rios; enfermeira e especialista em gênero, sexualidade e direitos humanos Fátima Maria dos Santos; pró-reitora de Assuntos Estudantis da UFF, Alessandra Barreto; professora de Psicologia do Instituto Federal do RJ Jaqueline de Jesus; e a ialorixá de Obaluayê Mãe Marcia Marçal.


‘Este evento é fundamental na discussão da violência doméstica e soluções contra o racismo e opressão vividos por mulheres no nosso país. Historicamente elas foram e ainda são alvo da exploração hegemônica’, justifica a vereadora Benny Briolly, presidente da Comissão organizadora do evento.


‘Raízes que nos sustentam’ terá também oficinas de serigrafia, argila, expressão corporal e uma feira de artesanato. Na área externa do Teatro Popular, durante a confraternização, das 18h às 21h, o público poderá conferir uma roda de samba com bambas do ‘Terreiro da Vovó’ e ainda a apresentação musical de Dany Black e Helena Kimmer. Tudo com entrada franca.


Um estudo publicado pela ‘The Lancet’, com informações da Organização Mundial da Saúde, mostra que 27% das mulheres de 15 a 49 anos sofreram violência doméstica durante a vida. A situação é mais alarmante entre a população negra. Dados do Ipea apontam que 66% de todas as mulheres assassinadas no Brasil são negras. De acordo com o IBGE, 63% das casas chefiadas por negras estão abaixo da linha de pobreza. Elas continuam na base da pirâmide da desigualdade de renda no país, recebem menos da metade do salário dos brancos e bem menos que as brancas. São as principais vítimas do feminicídio, da violência doméstica e da mortalidade materna.



SERVIÇO:

‘Raízes que nos sustentam’

Local: Teatro Popular Oscar Niemeyer - R.ua Jornalista Rogério Coelho Neto, s/nº - Centro de Niterói

Data: 24 de agosto (quinta-feira)

Horário: das 15h às 21h

Entrada franca

Comments


bottom of page