top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Festival do Orgulho acontece nos dias 2 e 3 de junho em São Paulo

O evento terá como palco o Komplexo Tempo, localizado na Vila Industrial da Mooca e contará com a apresentação da Pabllo Vittar



A segunda edição do Festival do Orgulho está programada para os dias 2 e 3 de junho, uma semana antes da Parada LGBTQIAPN+ de São Paulo. O evento, que foi recebido em 2022, terá como palco o Komplexo Tempo, localizado na Vila Industrial da Mooca, n capital paulista, e contará com a apresentação da Pabllo Vittar, confirmada como a primeira artista do festival.


O evento é organizado pela Mynd, agência de marketing de influência e entretenimento do país, juntamente com a Agrada Produções, que possui vasta experiência em eventos voltados para a comunidade LGBTQIAPN+. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site: https://www.ingresse.com/festival-do-orgulho-2023.


O Festival do Orgulho nasceu em 2020, durante a pandemia, como uma live voltada para o público LGBTQIAPN+. Envolvendo grandes artistas e marcas e feita de maneira inclusiva, a transmissão parou a internet e é lembrada até hoje através dos memes. Em 2021, a Mynd repetiu a dose e fez uma live ainda maior, com mais de cinco horas de duração.


No ano passado, com a volta dos grandes eventos e ao lado da Agrada Produções, a agência realizou a primeira edição presencial do festival, com mais de 15 artistas e DJs, mais de dez mil pessoas presentes nos dois dias e mais de 175 mil impressões na transmissão ao vivo pela internet.


'Não temos dúvidas de que o festival se consolidou como um grande evento do mês do orgulho para os artistas, público e marcas. Em 2022, nós viemos para o mundo físico, sendo um sucesso, e agora queremos expandir, fazendo um evento maior ainda. Para este ano, esperamos mais de 15 mil pessoas nos dois dias de festival e, no futuro, queremos levar o projeto para ainda mais cidades, não só em junho, mas durante o ano inteiro', conta Mari Campos, Diretora Artística da Mynd.


Para as edições presenciais, a Mynd, que tem em seu DNA a diversidade, encontrou na Agrada o mesmo propósito de dar voz à comunidade LGBTQIAPN+, repetindo a parceria pelo segundo ano consecutivo.


'Como empresária LGBT, eu tenho muito orgulho de desenvolver projetos que tenham como prioridades a inclusão, o respeito e o amor. Através do Festival do Orgulho, nós conseguimos criar uma plataforma artística para a troca, divulgação e cooperação entre pessoas LGBT, gerando visibilidade para os artistas da comunidade e contratando profissionais que ainda não tem tanta experiência no mercado, mas conseguem se qualificar ao trabalhar no backstage', afirma Nathalia Takenobu, sócia da Agrada Produções.

bottom of page