top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Gabriel Coimbra: do OnlyFans para o empreendedorismo gastronômico

Maior produtor de conteúdo erótico gay decidiu usar o dinheiro ganho na plataforma para abrir com o marido uma loja de coxinhas, com receitas autorais, em São Paulo


Os fãs que se deliciam com a produção erótica de Gabriel Coimbra, de 29 anos, na plataforma OnlyFans, agora irão se deliciar muito mais. Os recursos obtidos com sua 'avantajada' produção foram utilizados para a criação de uma loja de coxinhas, no Edifício Itália, no Centro de São Paulo, ao lado do marido, Juan, de 35 anos. Com receitas exclusivas, eles querem transformar a Don Croc, inaugurada no último mês, em uma rede de franquias.


A construção do futuro do casal começou muito antes deles se conhecerem. Juan era dono de uma loja de acessórios femininos que eram produzidas por ele mesmo. Com a pandemia, o isolamento e o fechamento de muitas lojas, acabou ficando em casa, preparando coxinha para os amigos.


'A receita autoral, chamava muita atenção de quem comia, e quando nos conhecemos ele também me apresentou a receita e eu me apaixonei, e tive a ideia da gente transformar num projeto nosso. Foi ai que decidi juntar o dinheiro que obtinha com as plataformas adultas. Como São Paulo, é a terra onde surgiu a coxinha, achamos o projeto bem ousado já que temos como slogan A evolução da coxinha, justamente por ser uma receita autoral e inovadora nos sabores'. frisou o empresário.


Nordestinos, eles, que estavam acostumados com a mandioca como parte da refeição matinal, transformaram-na em massa leve e muito mais saborosa. Outro diferencial, explica Gabriel Coimbra, é o menu com inúmeras opções de coxinhas doces, com recheios que variam de chocolate milka com doce de leite e cream x, brigadeiro de café, queijo coalho com goiabada, a brigadeiro tradicional.


A coxinharia surgiu também como uma alternativa de renda mais segura, que a plataforma do Onlyfans. Apesar de ainda estar no auge da produção e ganho, ele teme a instabilidade. Gabriel Coimbra pensa que um dia pode, por N razões, não trabalhar mais no ramo.


E sempre fiquei muito inquieto sobre o que fazer com o dinheiro que eu ganhava e achei que o melhor caminho fosse empreender, já que eu optei por não trabalhar pra ninguém', ressaltou.


Sua carreira no pornô irá continuar. Ele explicou que já se expôs muito e acredita que é possível aproveitar ao máximo. Porem, diz, em um novo ritmo, focando muito no seu empreendimento para que seja um sucesso.


'Eu e meu marido assumimos toda a operação da loja, e também contamos com o suporte de dois funcionários. Então estamos sempre lá, da hora que abrimos ate a hora que fechamos'.


Uma nova realidade


O mercado pornô gay mudou muito, assim como a indústria mundial de um modo geral. As plataformas permitem mais ganhos e mais independência o que abre espaços ilimitados para a imaginação. Então, quem corre atrás do seu espaço, acaba tendo bons resultados.


'Precisa se esforçar diariamente na construção da sua imagem e em como você a divulga. Eu por exemplo, nunca tive sequer um dia em que eu ficasse completamente off do meu celular. E não vejo muito incentivo por parte das produtoras pornôs nacionais. É, geralmente, muito trabalho pra pouco dinheiro e ficam com a maior parte dos lucros. As plataformas reverteram um pouco o jogo', concluiu o influencer.

bottom of page