• Pimenta Rosa

Instituto C&A une empreendedores LGBTQIAP+ em coleção inédita

Campanha, que estreia em maio, irá conectar 10 negócios brasileiros independentes ao marketplace da marca, o Galeria C&A



O Instituto C&A, pilar social da C&A no Brasil, irá conectar 10 empreendedores LGBTQIAP+ ao marketplace da varejista, o Galeria C&A, em coleção inédita lançada este mês. O Nosso Encontro Orgulho na C&A é uma continuidade do projeto iniciado em 2021, que selecionou marcas para aceleração de quatro meses em branding e produto, além do apoio para criação de novas identidades visuais e investimento de R$ 4 mil em cada iniciativa.

Com identidade genderless, autoral e que prima pelo conforto, a nova coleção reúne peças overtop, bottom, top, acessórios e calçados, em tamanhos que variam do P ao GG e 33 a 42, com ticket médio de R$ 110, com itens a partir R$ 39,99. Seguindo tendências, os 42 itens, que vão do contemporâneo ao jovem, poderão ser encontrados em estilos bold color, feitos a mão, muito brilho e cut out.

'Este projeto dá continuidade ao trabalho que começamos com o edital Todes na Moda, no ano passado, em que selecionamos negócios de moda liderados por pessoas LGBTQIAP+ para aceleração. É resultado de um trabalho conjunto entre estes empreendedores, o Instituto e a Galeria C&A, para criar moda com propósito e que cause, de fato, transformação social', comenta Gustavo Narciso, Diretor Executivo do Instituto C&A.


Marcas


As dez marcas selecionadas têm estilos variados, mas que dialogam com as principais tendências de moda da atualidade. A Ácida Lab, da designer Fernanda Josino de Assis, produz itens de alfaiataria genderless. Já a Afroperifa, idealizada por Will André Alves Carvalho dos Santos, homem negro bissexual, busca expressar o desing afro urbano, com peças que são uma manifestação da moda na periferia.

A João leva também o nome da pessoa não-binária que a idealizou na cidade Itabirito, no interior de Minas Gerais, para servir em todos os corpos. Com o objetivo de valorizar a arte e a cultura afro-angolana, a Coloral foi pensada pela educadora Mara Carolina de Lima Galvão, pensando nas cores e na representação regional de um povo.


As ecojoias de Jéssica Debortolo, que buscam ressignificar o conceito de joias e preciosidade, dialogam com a moda agênero pensada por Iury de Jesus Rodrigues Aldenhoff para a Negro Piche, que vê a moda como forma de expressão de luta. Vestir todos os corpos de forma confortável também é a premissa da Ropa, da jovem curitibana Letícia Aleotti Simon, em consonância com os adornos únicos pensados pela carioca Jéssica Louzada da Silva para sua marca, a Sapa Orelhuda.

Mulher indígena e transgênero, Lucrécia Teran produz artesanalmente acessórios com estética equatoriana para sua marca Teran, assim como Sávio Gurgel Barreto Silva foi idealizador de calçados feitos à mão a partir de desenhos autorais e inéditos para seu negócio, a Terra de Luz.

Todos os 42 itens que compõem a coleção podem ser encontrados na landing page da campanha Nosso Encontro Orgulho na C&A.


Sobre o Instituto C&A


O Instituto C&A - pilar social da C&A Brasil - atua no fortalecimento de comunidades por meio da moda no voluntariado corporativo e no fomento ao empreendedorismo de grupos em maior vulnerabilidade social. A instituição também realiza ajudas humanitárias em situações de calamidade pública e crises emergenciais. Com 30 anos de história o instituto tem como principal objetivo atuar com o impacto positivo na sociedade por meio de projetos e ações voltados para comunidades periféricas, LGBTQIA+, mulheres negras, refugiados e migrantes.

9 visualizações