top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Instituto Unibanco apoia lançamento do Manual de Educação LGBTI+

Documento produzido pela Aliança Nacional LGBTI+ tem como foco o combate ao preconceito nas escolas e é direcionado a profissionais do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio



O Instituto Unibanco e a Aliança Nacional LGBTI+ lançaram, em São Paulo, o 'Manual de Educação LGBTI+'. Destinado a profissionais de educação do Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e do Ensino Médio, o documento busca contribuir para a diminuição de casos de bullying, preconceito, discriminação, violência e evasão escolar que estudantes LGBTI+ nessa faixa etária podem sofrer no ambiente escolar. Para tanto, ele propõe aos profissionais de educação que reflitam sobre o que podem fazer, na prática, para promover o respeito à diversidade sexual e de gênero, além de como acolher e sensibilizar outras pessoas sobre a situação de marginalização em que parte da população LGBTI+ vive.

Dividida em três seções, a publicação conta com informações e conceitos sobre questões LGBTI+, de modo a apoiar os profissionais de educação a se familiarizarem com o tema. O conteúdo também traz sugestões de recursos práticos para auxiliar na abordagem do assunto com os estudantes. Por fim, reúne os textos de algumas legislações e normas voltadas à orientação e ao respaldo da realização deste trabalho em sala de aula. Nas palavras de Toni Reis, diretor-presidente da Aliança Nacional LGBTI+, diretor da Rede GayLatino e um dos organizadores da coleção da qual o Manual faz parte, 'o objetivo do Manual de Educação e LGBTI+ não é fazer apologia ou incentivar orientações sexuais e expressões/identidades de gênero diversas da heteronorma. Seu propósito é puramente o de contribuir para combater as cientificamente comprovadas e elevadas taxas de discriminação e violência contra estudantes LGBTI+, principalmente nas escolas'.

Ricardo Henriques, superintendente-executivo do Instituto Unibanco, lembra que a intolerância à diversidade sexual e de gênero gera impactos profundos na trajetória educacional desses estudantes. 'Os estudantes LGBTs estão entre os que mais vivenciam preconceito no ambiente escolar. A intolerância cria campos de discriminação na sala de aula, gerando impactos no clima, em sua performance, muitas vezes acabando por expulsar esses estudantes da escola', afirma. Segundo ele, a escola tem papel fundamental de proteger os estudantes, além de promover discussões sobre o tema, respeitar e integrar as diferenças. 'Somente assim conseguiremos ter um país mais diverso, justo, equânime, e menos preconceituoso, homofóbico, transfóbico, racista e machista', complementa.

Produzida pela Aliança e Rede GayLatino, a publicação integra a coleção Enciclopédio LGBTI+ e tem execução do Grupo Dignidade, do Instituto Brasileiro da Diversidade Sexual (IBDSEX) e do Centro Paranaense de Cidadania (Cepac); apoio institucional da Universidade Federal do Paraná, Superintendência de Inclusão, Políticas Afirmativas e Diversidade, UNAIDS, grupo SOMOSGAY (Paraguai) e Robert Carr Fund. Uma versão em e-book do Manual pode ser encontrada no Observatório de Educação, do Instituto Unibanco. Para conhecer, acesse (https://observatoriodeeducacao.institutounibanco.org.br/cedoc/detalhe/manual-de-educacao-lgbti,921298df-6014-48e4-adc3-058db4642610)


0 visualização

Comments


bottom of page