• Pimenta Rosa

Lins Imperial terá pela primeira vez um Rei de Bateria em seu desfile

John Avelino sabe da responsabilidade na apresentação da escola, ao lado da rainha Danny Fox, e espera desbravar novos caminhos no Carnaval e na carreira



Após 28 anos, uma escola de samba levará para a Avenida de Desfile uma Corte real à frente de sua bateria. Ao lado da rainha Danny Fox, o professor de dança e coreógrafo John Avelino formará a Corte da Lins Imperial pela primeira vez em sua história, apresentando os ritmistas e mostrando muito samba no pé.


Nascido em Goiás e atualmente morador da Cidade Maravilhosa, John Avelino é apaixonado por carnaval desde quando nasceu. Formado e pós-graduado em estética, cosmética e tricologia, exercendo a profissão de cabeleireiro e maquiador em diversos estados do país, tendo inclusive como clientes, grandes musas e personalidades do carnaval carioca, o rei de bateria da Lins Imperial é professor de dança (samba) e coreógrafo.


John Avelino virou figura carimbada nos setores das arquibancadas ano após ano, desde o Carnaval 2010. Em 2011 desfilou pela primeira vez em uma escola de samba, mas foi debaixo do temporal no desfile da Estação Primeira de Mangueira em 2015 que o rei da bateria Verdadeira Furiosa de mestre Átila virou o Muso das Arquibancadas, através de um vídeo sambando na chuva que viralizou, chegando a atingir mais de 2,5 milhões de acessos.


Pimenta Rosa - Como você se sente retomando o cargo de Rei de Bateria de uma escola de samba? Vale lembrar que o primeiro da história do Carnaval foi o Zé Reinaldo, em 1994.


John Avelino - Eu me sinto muito honrado, sempre fui um grande admirador do Zé Reinaldo e toda história de representatividade que ele carrega. Essa retomada é de grande importância. Quando o presidente Flávio Mello me fez o convite achei ele um homem de muita coragem em botar a cara à tapa e falar “ vou ter um rei de bateria “, sobretudo em ter me escolhido visto que não estou nos moldes do que esperam de um homem sambando. Um homem gay, negro e livre para ser quem quiser na frente da bateria. Nós também merecemos posição de destaque e não trabalhar só nos bastidores.


Pimenta Rosa - Qual a importância de se ter uma Corte à frente dos ritmistas?


John Avelino - Na minha opinião a corte abrilhanta mais ao desfile, no caso da Lins, a corte é formada por mim e por Danny Fox, rainha que mora fora do Brasil e vem aqui exclusivamente para o Carnaval. Além da corte teremos uma madrinha que desfilará ao nosso lado. Acho válido todos os formatos de desfile, seja só rainha , rei ou até mesmo a corte. O importante é estarem alinhados e fazer um belo trabalho na avenida .


Pimenta Rosa - Na sua opinião, o que impede que outras agremiações tomem uma atitude igual?


John Avelino - Acho que existe uma resistência muito grande sim , é algo cultural desde sempre mulheres reinaram à frente das baterias, com algumas ressalvas. Existe também um pouco de preconceito e receio no geral. Porém logo após o meu anúncio, iniciou-se um movimento onde veremos mais homens reinando. De certa forma o convite do meu presidente Flávio Mello juntamente com a minha aceitação pode ter ajudado nesse movimento. O que me deixa muito feliz já que o carnaval é para todos. Quero cada vez mais homens brilhando à frente das baterias.


Pimenta Rosa - Quais são os seus planos para o futuro?


John Avelino - Os planos para o futuro dentro do Carnaval são que cada vez mais eu possa romper barreiras e possa estar representando centenas ou milhares de meninos que sonham como eu sonhei ..Que eu seja exemplo com muita humildade, respeito e samba no pé !


Fotos: Magaiver Fernandes e Douglas Jaco

21 visualizações