top of page
  • Pimenta Rosa

Manifesto pede apuração da atuação de milícia no Rio de Janeiro

O manifesto busca a justiça para Marielle Franco, Anderson Gomes e todas as vítimas da violência e corrupção que assolam o Rio de Janeiro. Assine e compartilhe para fazer parte dessa mudança: <https://commilicianaotemjogo.com.br/>.



A recente prisão dos mandantes do cruel assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes expôs uma realidade que os moradores do Rio de Janeiro conhecem há muito tempo: um ecossistema criminoso que opera dentro do Estado, garantindo o domínio de grupos armados na cidade. Essas organizações prosperam com a exploração da pobreza, construída a partir da histórica negligência do poder público em assegurar direitos básicos.


De acordo com dados levantados pela Polícia Federal, baseados nas investigações sobre o assassinato de Marielle e Anderson, pelo menos metade dos deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) tem ligações com o crime.


O manifesto 'Com milícia não tem jogo' nasce para combater e romper com essa cultura criminosa dentro do Estado. Seu objetivo é a construção de uma frente política que não tolera nem normaliza as relações espúrias entre milícia e política. É necessário enfrentar esse marco de poder e refundar o Rio de Janeiro sobre bases democráticas e socialmente justas.


A vereadora Monica Benicio (Psol/RJ) e a bancada do PSOL na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, uniram-se aos deputados do partido e enviaram à ministra Maria Thereza de Assis Moura, presidenta do Superior Tribunal de Justiça, um pedido para que o STJ instaure um processo de impeachment contra Domingos Brazão, atual Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE).


'É incoerente que Brazão siga gozando dos benefícios do cargo de Conselheiro do TCE, o que não condiz com a eficiência e moralidade do próprio órgão. Queremos que Domingos Brazão seja processado e julgado pelos crimes de responsabilidade imputados a ele. Sem responsabilização dos mandantes não haverá justiça! Seguimos em luta por Marielle e Anderson', frisa Benicio em post publicado em seu Instagram.


Sua colega de partido, a deputada federal Taliria Petrone, destacou que já foi protocolada em Brasília a PEC Contra as Milícias. Ela ressalta que a proposta precisa da adesão de pelo menos 171 deputados federais para seguir adiante e ser aprovada pela Câmara. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) altera a competência de investigação quando se tratar de grupos paramilitares com participação de agentes do Estado. Assim, casos como o de Marielle e Anderson poderão ser federalizados e solucionados com eficiência e rapidez.


'Pedimos sua ajuda na mobilização e divulgação da medida! O clamor por justiça em nome de Marielle e Anderson vai além da prisão de seus executores. É imperativo enfrentar a estrutura política que permitiu esse assassinato e que, por muito pouco, não acobertou os culpados. Este manifesto convoca todos que reconhecem que não há justiça sem direitos, e que com milícia não há futuro. Junte-se a nós nessa luta por um Rio de Janeiro livre da influência nefasta dos grupos milicianos', apela Petrone nas suas redes sociais.

Comments


bottom of page