top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Museu da Diversidade Sexual (MDS) fortalece equipe com duas novas contratações de destaque

Tony Boita assume como Gerente de Conteúdo e Amara Moira como Coordenadora de Exposições e Programação Cultural



O Museu da Diversidade Sexual, uma instituição vinculada à Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, anunciou recentemente a chegada de dois profissionais renomados para reforçar a gestão de suas áreas técnicas. As contratações representam um reforço significativo para o Museu da Diversidade Sexual, prometendo contribuir para a diversificação e enriquecimento das experiências oferecidas aos visitantes.


Os novos contratados são:


Tony Boita - Gerente de Conteúdo

Doutor em Comunicação, Mestre em Antropologia e Bacharel em Museologia pela Universidade Federal de Goiás, Tony Boita traz consigo uma vasta experiência na área. Especialista em Gestão Cultural pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial e com formação em Psicanálise pela Faculdade Unyleya, Boita será o responsável pelas áreas técnicas do museu, incluindo Museologia e Acervo, Exposições e Programação Cultural. Desde 2011, dedica-se ativamente ao desenvolvimento de projetos relacionados a populações vulneráveis, visando promover a cidadania, memória e cultura por meio de ações museológicas. Além de seu trabalho acadêmico, Boita atuou como professor substituto no bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Goiás e da Universidade Federal de Sergipe. Ele também ocupou cargos de Diretor em museus notáveis, como o Museu das Bandeiras, Museu de Arte Sacra da Boa Morte e Museu Casa da Princesa, todos vinculados ao Instituto Brasileiro de Museus.



Amara Moira - Coordenadora de Exposições e Programação Cultural

Para complementar o time, o MDS recebe Amara Moira, travesti, feminista e doutora em teoria e crítica literária pela Unicamp. Sua tese, focada em "Ulysses", de James Joyce, evidencia sua abordagem crítica e literária única. Amara é autora de obras significativas, como "E se eu fosse puta", que compartilha suas experiências como trabalhadora sexual, 'Vidas Trans', coautoria que explora a pré-história de sua transição, e 'Neca + 20 Poemetos Travessos', que apresenta sua produção poética sobre vivências LGBTI+. Além disso, ela é colunista do UOL Esporte e da plataforma Fatal Model. No MDS, Amara Moira será a Coordenadora de Exposições e Programação Cultural, encarregada de idealizar e produzir exposições e outras atividades culturais do museu.


Comments


bottom of page