top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Rio terá maratona em comemoração ao mês da Visibilidade Lésbica

Os eventos do ‘Orgulho à Visibilidade: Por uma Cidade Sapatão’ acontecem de 19 a 29 de agosto. A iniciativa é da líder da bancada do PSOL, vereadora Monica Benício, única parlamentar da Câmara Municipal do Rio assumidamente lésbica e que tem na defesa dos direitos humanos e da população LGBTQIAP+ suas principais bandeiras de luta.



Por 10 dias, a cidade do Rio de Janeiro será palco de diversas atividades em comemoração ao mês da Visibilidade Lésbica. Os eventos do ‘Orgulho à Visibilidade: Por uma Cidade Sapatão’ acontecem de 19 a 29 de agosto. A iniciativa é da líder da bancada do PSOL na Câmara Municipal do Rio, vereadora Monica Benício, a única da Casa assumidamente lésbica e que tem como principais bandeiras a defesa dos direitos humanos e da população LGBTQIAP+.


Esse é o primeiro ano que o Dia da Visibilidade Lésbica, 29 de agosto, está no calendário oficial da cidade. A lei é da vereadora Marielle Franco e o projeto foi reapresentado e aprovado em outubro do ano passado pelas vereadoras Monica Benício e Tainá de Paula.


‘Mulheres lésbicas existem. Já que existem, precisam ser visíveis e ter seus direitos e cidadania garantidos na sociedade. E pra isso precisam ter voz no debate público e na política. O PL da Visibilidade Lésbica é importante justamente porque se torna um instrumento de combate à lesbofobia e foi construído por Marielle com movimentos sociais e lésbicas’, explica Monica.


A programação intensa terá início a partir das 10h deste sábado (19) com diversas atividades do Ocupa Sapatão nos jardins do MAM, no Aterro do Flamengo. No fim da tarde haverá uma caminhada até o cinemão sapatão da ABL, no Espaço Lapa.


No domingo (20), das 10h às 14h, dezenas de mulheres vão promover um encontro de mães lésbicas na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, para trocar experiências e conversar sobre as vivências da dupla maternidade. Logo depois, a partir das 13h, terá a festa Só Diretoria em Vaz Lobo, que se popularizou na Zona Norte por ser um espaço seguro e sem preconceitos para diversão de mulheres lésbicas.


Na segunda-feira (21) o saguão da Câmara Municipal do Rio receberá, a partir das 16h, a mostra fotográfica ‘O que nos afeta’. Foram selecionadas 23 imagens de 21 fotógrafas lésbicas, nas categorias amor, corpo e ativismo. O objetivo é mostrar o cotidiano e o trabalho das sapatonas na cidade. A exposição será gratuita e ficará aberta ao público até 30 de agosto.


Sábado (26) será o dia da ‘Ação Sapatão - Cidadania na Maré’, com oficina de currículos, feira de empregabilidade, barraca da Comissão da Mulher, atendimento jurídico e outros serviços. A Secretaria Municipal de Trabalho (Setrab) estará presente com o programa Trabalha Rio, que divulga vagas de trabalho e cursos de capacitação profissional. A ação cidadã acontece das 9h às 16h, em frente à Casa de Resistência Lésbica, na Vila do Pinheiro.


Na segunda (28), mais de 50 mulheres integrantes do Ocupa Sapatão serão homenageadas às 18h no plenário da Câmara. O mote do evento será ‘Vivas e visíveis na luta por direitos’. E para encerrar o mês da visibilidade lésbica em grande estilo no 29 de agosto, a vereadora entregará a Medalha Chiquinha Gonzaga para a cantora Ana Carolina.


‘Todas essas atividades têm o objetivo de pautar a temática lésbica na cidade, ampliar o debate público e, assim, visibilizar nossos corpos, nossas existências e nossos direitos. Quanto mais locais abrangidos e mais gente envolvida e curiosa querendo saber o que tá rolando, melhor, porque é uma forma de conscientizar e provocar a reflexão sobre a rotina de preconceitos que nós ainda enfrentamos em pleno 2023’, destacou Monica Benício.


Confira a programação completa:


19 de agosto - SÁBADO

OCUPA SAPATÃO

Horário: 10h

Local: Jardins do MAM

Programação completa: @ocupasapataorj


20 de agosto - DOMINGO

Encontrão Maternidades Lésbicas

Horário: 10h às 14h

Local: Piquenique na Quinta da Boa Vista

Teremos espaço infantil! Confirmaremos o ponto de encontro!

20 de agosto - DOMINGO

Festa Só Diretoria - Especial da Visibilidade Lésbica

Horário: A partir das 13h

Local: Espaço Arena Eventos - Rua Bezerra de Menezes, 31 - Vaz Lobo

Mais informações: @pedritadiretoria


21 de agosto - SEGUNDA

Coquetel de lançamento da exposição 'O que nos afeta - fotógrafas lésbica'

Horário: 16h às 18h

Local: Saguão da Câmara Municipal do Rio - Praça Floriano s/nº - Cinelândia


22 de agosto - TERÇA

'Direito a ter direitos - Diálogos sobre a vivência lésbica'

Horário: 10h

Local: Colégio Pedro II - São Cristóvão - Auditório da Pró-reitoria


23 de agosto - QUARTA

Panfletaço pela Visibilidade Lésbica

Horário: A partir das 18h

Local: Baixo Botafogo


24 de agosto - QUINTA

Baque Mulher pela Visibilidade Lésbica

Horário: 19h

Local: Espaço África Brasil e Artes - Av. Mem de Sá, 39 - Lapa


25 de agosto - SEXTA

Visita de Monica Benício à Rede Nami pela Visibilidade Lésbica

Horário: 14h00

Mais informações: @redenami


25 de agosto - SEXTA

Poética Sapatão

Horário: A partir das 18h

Local: Bar Novo Oeste - Rua Paschoal Carlos Magno, 90 - Santa Teresa


26 de agosto - SÁBADO

Ação Sapatão - Cidadania na Maré

Horário: 9h às 16h

Local: Casa de Resistência Lésbica - Via A1, n°91 - Vila do Pinheiro - Maré


27 de agosto - DOMINGO

Futebol com as MARIELLAS

Horário: 12h

Local: Society na cara do Gol - Rua Ricardo Machado, 234 - São Cristóvão


28 de agosto - SEGUNDA

OcupaSapatão - Vivas e visíveis na luta por direitos

Horário: 18h

Local: Plenário da Câmara Rio - Praça Floriano s/nº - Cinelândia


29 de agosto - TERÇA

Entrega da Medalha Chiquinha Gonzaga para Ana Carolina

Horário: 18h30

Local: Plenário da Câmara Rio - Praça Floriano s/nº - Cinelândia



LEI Nº 7.606, DE 14 DE OUTUBRO DE 2022



Foi durante o 1º Seminário Nacional de Lésbicas – Senale, em 1996, que militantes lésbicas brasileiras instituíram o mês de agosto como o da Visibilidade Lésbica. Alvo de violência simbólica, verbal, psicológica, física e econômica em todos os espaços - família, rua, hospitais, escola, trabalho – o objetivo da proposta é debater e refletir sobre uma sociedade com valores machistas e lesbofóbicos.



Na justificativa da Projeto de Lei nº 82/2017, que inclui o Dia da Visibilidade Lésbica no calendário oficial da cidade do Rio de Janeiro consolidado pela Lei nº 5.146/2010, dando origem a Lei nº 7.606 de 14 de outubro de 2022, a então autora da proposição, Marielle Franco, afirmou que ‘essa opressão imposta pela sociedade patriarcal causa muito sofrimento, podendo provocar a negação da própria sexualidade, afastamento de familiares, a construção de uma vida dupla e, em alguns casos, suicídio’.


Cita expressões mais extremas de violência contra lésbicas, como o chamado ‘estupro corretivo, prática cruel que é movida pela intolerância à orientação sexual das mulheres lésbicas’. Destaca que as mais vulneráveis a diversas formas de violência são as mulheres lésbicas negras e/ou periféricas.


De acordo com a redação da justificativa do PL, ‘a invisibilidade lésbica se apresenta de muitas formas: quando campanhas de conscientização para a prevenção de DSTs se referem exclusivamente às formas de proteção próprias ao sexo falocêntrico; na dificuldade de contemplação nas fertilizações in vitro, na falta de dados e pesquisas sobre as particularidades da violência contra as mulheres lésbicas e na ausência de representatividade lésbica na mídia e na política'.


‘Esses são só alguns exemplos que demonstram porque é urgente uma data para se debater e promover a visibilidade das mulheres lésbicas. Esses exemplos são o produto de uma sociedade com valores machistas e lesbofóbicos. O apagamento lésbico é alarmante porque é, ao mesmo tempo, resultado e fonte da lesbofobia. E é essa mesma lesbofobia, o ódio e o preconceito contra as mulheres lésbicas, que faz com que as mulheres lésbicas sofram diferentes formas de violências, desde a negação de suas identidades até a violência sexual e física’, finaliza.

bottom of page