• Pimenta Rosa

Uber reforça campanha contra LGBTfobia após denúncias

Empresa lançou cartilha, em parceria com ONG TODXS, de conduta dos motoristas do aplicativo, reforçando a imagem de empresa inclusiva e diversa



Já se preparando para as ações do Mês Internacional do Orgulho LGBT, comemorado em junho, a empresa Uber lançou, em parceria com a organização sem fins lucrativos TODXS, uma cartilha que é um código de conduta dos motoristas. Do mesmo jeito, em parceria com o movimento Me Too Brasil, a empresa lançou um canal de atendimento psicológico a vítimas de racismo e homofobia.


'Sabemos da importância de agir ativamente para que nossos parceiros e usuários se sintam seguros, sem medo de serem constrangidos, assediados ou discriminados durante uma viagem', diz nota divulgada pela empresa.


A Uber não tolera LGBTQIA+fobia.


E vale lembrar: a discriminação por orientação afetivo-sexual e identidade de gênero é crime no Brasil. (Equiparada à discriminação por raça definida na Lei Federal nº 7.716/ 89 por decisão do STF em junho/2019).


Baixe a cartilha aqui.


Marina Ganzarolli, presidente do MeToo Brasil comemora a ação:


'O Brasil é um país estruturalmente racista e LGBTfóbico e nós somos o primeiro país do mundo em transfeminicídio. Pensar em uma resposta adequada e em um acolhimento psicológico para pessoas que passam por experiências traumatizantes por condutas discriminatórias dentro da plataforma é muito positivo e inovador e deveria ser feito por todas as empresas'.


Em nota, sobre o novo canal de atendimento psicológico, a Uber esclarece as ações.


'A assistência psicológica consiste em até quatro sessões de uma hora cada, que são conduzidas por profissionais da psicologia especializados(as) e buscam acolher o relato de forma empática e sem julgamento. O objetivo é dar um primeiro acolhimento e auxiliar a pessoa para que ela se sinta segura e apoiada ao enfrentar o trauma vivido'.

3 visualizações