• Pimenta Rosa

Prefeitura do Rio dá apoio a projeto de capacitação profissional LGBTQIA+

Projeto CapaciTrans, voltado para o empreendedorismo em toda a comunidade LGBTQIA+, receberá R$ 20 mil do município para continuar com o trabalho social



A pandemia fez com que muitas empresas formais fechassem as portas e jogassem nas ruas milhares de trabalhadores. Na comunidade LGBTQIA+ foi diferente. Apesar da dificuldade de acesso ao mercado de trabalho de muitos profissionais, o que já era comum antes da Covid-19, projetos como o CapaciTrans, voltado para o empreendedorismo não apenas de transexuais, mas de toda a comunidade LGBT.


Para manter o projeto, que oferece cursos de Penteado & Maquiagem, Moda, Gastronomia e Mídias Sociais, a Coordenadoria Executiva da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio (Ceds Rio), órgão da Secretaria de Governo e Integridade Pública, irá financiar o CapaciTrans. A primeira turma contemplada pela parceria terá 30 alunos em situação de vulnerabilidade social, e focará em dois eixos: Moda e Gastronomia.


Coordenado pela ativista e estilista Andréa Brazil, o CapaciTrans existe há dois anos e meio e já formou mais de 60 pessoas. A Ceds Rio repassará R$ 20 mil e as aulas irão até dezembro, totalmente em formato online. As inscrições para os cursos devem ser feitos pelas redes sociais do Projeto. Os cursos têm foco no estímulo ao empreendedorismo.


'A parceria com a Prefeitura do Rio é crucial, pois viabiliza que novos empreendedores LGBTIs possam conquistar empoderamento e movimentar a economia em nosso município. Depois de uma fase caótica da pandemia, onde pessoas trans e LGBs em vulnerabilidade estavam desempregadas, sem rumos ou sonhos. Esta iniciativa foi um sopro de esperança para nossa população carioca', frisou Andréa.


O coordenador executivo da Diversidade Sexual do Rio, Carlos Tufvesson, aplaude a iniciativa da estilista, lembrando que o empreendedorismo é um dos caminhos para o desenvolvimento do mercado de trabalho.


'O empreendedorismo é uma saída importante para a questão de empregabilidade de pessoas LGBTI+, que enfrentam, ainda, muitas barreiras de acesso ao mercado de trabalho. Neste sentido, o trabalho do CapaciTrans tem sido fundamental para a nossa cidade', concluiu Tufvesson.




11 visualizações