top of page
  • Foto do escritorPimenta Rosa

Israel Cassol: 'Homem gay de 40 incomoda demais'

Do digital a TV, Cassol fala sobre os desafios de começar na TV após os 40 e como a sexualidade contribui para acentuar o etarismo


Foto: Divulgação | CO - Assessoria


Israel Cassol, apresentador do programa Israel Cassol Show na COM BRASIL TV, revela situações de etarismo e homofobia que vive desde quando voltou ativa na carreira artística aos 38 anos. O influencer que hoje tem 41 anos, admite que recebe críticas constantes em sua rede social:


'O que essa bicha está fazendo aí? Olha a idade dessa POC!', reproduziu Israel.

Para o influencer, "as pessoas estão ficando malucas" por chamarem uma pessoa de 38 anos de 'velho'. "Isso no começo me abalava muito, e cheguei a fazer alguns procedimentos estéticos para tentar agradar esses preconceituosos que me insultavam". O apresentador revela que já fez botox e lasers para rejuvenescer a pele.

Atualmente, Israel Cassol afirma estar "calejado" após tantas situações de etarismo. "De vez em quando eu vejo alguns comentários nas redes sociais me chamando de inchado e velho, mas entra por um ouvido e sai por outro... isso não me abala mais!".

'Na televisão, nós artistas, queremos sempre aparecer com a pele e o corpo perfeitos. Eu me crítico também, sabe? E sinto essa mesma pressão das pessoas', afirma Israel.

'O segredo para o meu relacionamento homoafetivo durar, é ele ser low profile' Israel Cassol vive em um relacionamento homoafetivo há mais de 12 anos. Casado com Rupert G., que não é do meio artístico, o influencer é obrigado a ler, diariamente, insultos homofóbicos em sua rede social.


'O meu relacionamento low profile com o Rupert é muito importante. Mas as vezes é necessário abrir para o público mesmo com o preconceito. Eu falei do câncer que ele está passando com meus seguidores, por exemplo'.

'As pessoas não admitem um homossexual de 41 anos fazendo sucesso'. O apresentador afirma que isso é uma verdade que ele sente em sua pele com olhares atravessados de pessoas preconceituosas para suas roupas sem gênero. "Eu tenho uma autoestima, e as pessoas não estão acostumadas com isso".

Israel Cassol diz que o preconceito ainda existe tanto na TV, como no mundo real: 'Hoje eu sou o único apresentador gay da televisão brasileira que tem um programa no próprio nome'.

O influencer afirma que não está preocupado em incomodar, e sim, em levar energia positiva para o seu público. 'Seu eu der ouvidos às críticas nada construtivas, meu trabalho não vai para frente', conclui.

3 visualizações

Commentaires


bottom of page